Mundial Pro Junior Samuel Pupo e João Chianca vencem e duelam nas quartas de final


Mundial Pro Junior Samuel Pupo e João Chianca vencem e duelam nas quartas de final.

Únicos remanescentes do Brasil na disputa masculina do Mundial Pro Junior mantêm vivo o sonho do título nas ondas de Kiama. Evento foi interrompido ao fim da quarta fase

Samuel Pupo e João Chianca vencem e duelam nas quartas de final na Austrália

 

Comprometimento, grau de dificuldade, inovação, progressão, combinação de grandes manobras, variedade, velocidade, força e fluidez. A regra era clara. Únicos remanescentes do Brasil na disputa masculina do Mundial Pro Junior, em Kiama, na Austrália, Samuel Pupo e João Vitor “Chumbinho” Chianca seguiram o protocolo dos juízes, avançaram em suas baterias na terceira e quarta fases e agora se enfrentam na bateria 4 das quartas de final. A próxima chamada acontece às 17h30 (de Brasília) desta quarta-feira. O evento foi interrompido ao fim da quarta fase.

Chumbinho domina rival

Caçula do big rider Lucas Chianca, hoje conhecido como “Chumbo”, Chumbinho apostou na combinação de manobras como receita para desbancar o sul-africano Joshe Faulkner por 14.34 a 7.74. O surfista de Saquarema (RJ) foi aos poucos ampliando a sua vantagem. Abriu a disputa com um 5.33 e mesclou progressão e inovação para garantir nota 8.17, a maior do dia até então. Depois, ganhou um 7.17 com outro leque de manobras e jogou ainda mais pressão no rival.

Em combinação, Faulkner investiu nos aéreos, mas não conseguiu finalizar as suas ondas e nem evitar as repetidas quedas. No fim, o sul-africano partiu para o tudo ou nada, mas não conseguiu mudar o panorama da situação e continuou em combinação, deixando o caminho livre para o brasileiro.







Samuel Pupo vira no fim

Último brasileiro a entrar na água pela terceira fase, Samuel Pupo demorou a engrenar na bateria contra o sul-africano Jake Elkington, que deixou escapar a vitória no fim. O mar estava difícil, com poucas oportunidades para os surfistas, mas Jake soube tirar proveito das chances logo no início. Com notas razoáveis e outras melhores, o sul-africano liderou a disputa até os minutos finais.

Precisando de ao menos um 6.33 para virar, Samuel tentou se impor tanto com manobras na face da onda, como no jogo aéreo, mas as ondas não cooperavam com o irmão de Miguel Pupo. A 2m40s para o fim, o paulista se beneficiou de uma transição e ficou com a prioridade de escolha. Era a chance de ouro para mudar os rumos da bateria. Ele investiu em uma esquerda, emplacou um leque de manobras e foi recompensado 7.17, virando por 12.57 a 11.73.

Só Samuel vence na quarta fase

Na quarta fase, apenas Samuel Pupo venceu a sua bateria. João Chianca ficou em segundo em confronto vencido pelo havaiano Finn McGill – o australiano Liam O’Brien ficou em terceiro e acabou eliminado. Samuel, por sua vez, tratou de derrotar o havaiano Barron Mamiya e Che Allan, de Barbados. Barron avançou em segundo e enfrenta o compatriota Finn McGill nas quartas de final.

fonte GloboEsporte.com, Kiama, Austrália